Autor: ad_Starq (Page 1 of 18)

O Interface – Boletim do STARQ N.º 6 – Julho de 2021

Editorial

Mais um semestre decorrido com a pandemia da Covid-19, a primeira metade do mesmo passado em estado de emergência, durante a qual a grande maioria dos profissionais de arqueologia e património continuou diariamente a executar o seu trabalho em prol da defesa, estudo e valorização do património cultural.
Mais um semestre de precariedade laboral para os profissionais de arqueologia e património, mascaradas sob uma crise económica, que é passado, presente e futuro no discurso do capital e das entidades patronais. Esta não é mais que uma forma de oprimir os trabalhadores, procurando inibi-los de reivindicar por condições laborais e salariais justas e dignas.
Um semestre onde a recém-empossada direção do STARQ, na continuidade dos mandatos anteriores, prosseguiu a demanda por melhores condições de trabalho e de vida para os profissionais da arqueologia e do património cultural, dos setores privado e público, e pela salvaguarda do património. Muito deste trabalho é invisível: aconselhamentos e apoios laborais e jurídico a associados e não-associados. Outro é mais visível: intervenções nas redes e comunicação social e através desta publicação trimestral, Interface: boletim informativo, que se convida à sua leitura.
Neste sexto número, porque no STARQ acreditamos tratar-se de um dos problemas centrais nas lutas laborais e sociais, dá-se particular destaque, editorial e ao longo da publicação, à campanha e ações levadas a cabo no âmbito da Semana da Igualdade em parceria com a Comissão para a Igualdade entre Mulheres e Homens da CGTP-IN.
Em pleno confinamento as ações foram efetivas e ao mesmo tempo cumpriram todas as normas sanitárias. Assim, a campanha consistiu: 1) na visita a uma empreitada, em Lisboa, com vários profissionais de arqueologia, entre eles uma delegada sindical, para ali discutir as condições laborais, ouvir os trabalhadores e sensibilizar para questões profissionais ligadas diretamente à igualdade no trabalho; 2) através de uma conversa, entre a Sara Brito e a Sara Simões (STARQ) e a Mariana Chaves (NARQ – Núcleo
de estudantes de Arqueologia, NOVA FCSH), sobre a Desigualdade de Género em Arqueologia (e não só); 3) na forma de uma campanha online, intitulada Semana da Igualdade | Unidos pelo trabalho digno em Arqueologia, nas redes sociais do STARQ.

A campanha Semana da Igualdade revelou-se um sucesso. Publicaram-se 21 participações, as que o tempo permitiu e, aquelas que melhor refletem o espírito da mesma, são republicadas ao longo deste boletim. Num setor onde a paridade é norma, esta campanha revelou-nos, quer pelas preocupações e reivindicações demonstradas pelos participantes, quer pelas reações de resistência ou apoio, que as mesmas e a campanha receberam, que as questões da igualdade são ainda muito incompreendidas, incómodas, ou secundarizadas relativamente à precariedade que paira sobre a arqueologia. No STARQ as questões da igualdade e da representatividade na profissão são assuntos fundamentais e indissociáveis das lutas laborais e da busca de uma sociedade melhor e mais
equilibrada. Entre Abril de 1971 e Abril de 1972, em plena ditadura, foram escritas as “Novas Cartas Portuguesas”, um dos manifestos fundamentais do feminismo contemporâneo, da defesa da emancipação feminina e dos direitos iguais. Na Terceira Carta IV lê-se que “Se resistente é a economia e a política – depois dos capitalismos, dos colonialismos e dos socialismos, têm vindo todos os neo e os revisionismos, e enquanto não houver máquina de fazer filhos é a mulher quem os faz, e o problema não será só de capataz ou patrão, mas o de uma sociedade ser também construída a partir disto, do significado do trabalho e de quem o faz – se resistente é a economia e a política, mais é tudo o que as sustém”, reflexo das enraizadas desigualdades na nosso sociedade, hoje parcialmente sanadas, algumas das quais novas, criadas pela contemporaneidade social. A luta sindical, na busca da igualdade e de mais dignas condições laborais quer-se coletiva, multivocal e diária e no STARQ é o que temos vindo a procurar fazer. Quantos mais formos, mais ouvidos seremos.
Sindicaliza-te, junta-te ao STARQ.

(M.C.)

BOLETIM_STARQ_006


Protocolo STARQ-Centro Quiroprático de Portugal

O STARQ assinou um protocolo com o Centro Quiroprático de Portugal (Lisboa, Portimão, Albufeira). Com este protocolo, após exibição do cartão de associado, os associados do STARQ usufrião de 10% de desconto sobre o preço das consultas.

Lisboa:
Praça Duque de Saldanha,
Edifício Atrium Saldanha, 8ªM(a)
1050-094 Lisboa, Portugal
Tel.: 211 531 510 | Telm.: 917 002 200

Albufeira:
Travessa Sá Carneiro, Loja 18
Ed Lancemar, Bloco Nascente
8200-298 Albufeira
Tel.: 289 543 460 | Telm.: 916 005 405

Portimão:
Rua Heróis da Restauração, n.º 4
8500-651 Portimão
Tel.: 282 482 817Telm.: 916 005 405


Protocolo STARQ – Livraria Alfarrabista Varadero

Foi assinado um protocolo com a Livraria Alfarrabista Varadero (Porto e Online)

Os associados do STARQ beneficiarão, mediante apresentação do Cartão do STARQ, devidamente identificado, de um desconto de 10% sobre o valor anunciado.

Localização:
Rua da Boavista, nº 227
4050-107 Porto
Portugal

Contactos:
+351222011443
+351919975308
paulacantara@livraria-varadero.com


Protocolo STARQ – Companhia de Teatro de Almada

O STARQ assinou um protocolo com a Companhia de Teatro de Almada.

A partir deste momento os associados do STARQ, mediante a apresentação do Cartão de Associado, beneficiam de:

  • Descontos de 50% na aquisição de bilhetes para os espectáculos produzidos pela Companhia de Teatro de Almada; 
  • Descontos pontuais, consoante indicação do Serviço ao Público do TMJB, para os espectáculos acolhidos no Teatro Municipal Joaquim Benite; 
  • Desconto de 10% na aquisição do Cartão de Clube de Amigos do TMJB; 

Marcação prévia obrigatória e sujeita a disponibilidade através dos contactos do Serviço ao Público da CTA.

O presente Protocolo é válido nas instalações actuais da CTA, sitas no TMJB.


Pergunta – Partido Comunista Português – Novos atrasos dos pagamentos referentes ao Apoio Extraordinário Cultura – Linha de apoio extraordinário aos artistas, autores, técnicos e outros profissionais da cultura

Assunto: Novos atrasos dos pagamentos referentes ao Apoio Extraordinário Cultura – Linha de apoio extraordinário aos artistas, autores, técnicos e outros profissionais da cultura.

Pergunta-sobre-Novos-atrasos-dos-pagamentos-referentes-ao-Apoio-Extraordinario-Cultura-Linha-de-apoio-extraordinario-aos-artistas-autores-tecnicos-e-outros-profissionais-da-cultura


Substituição de Arqueólogos por câmaras de filmar nas dragagens do Pólis de Aveiro

O silêncio da DGPC sobre o assunto é ensurdecedor. Após denúncias do STARQ à entidade que tutela a Arqueologia, até ao momento, nada se fez, nem uma palavra foi dita. De facto, a substituição de arqueólogos por câmaras de filmar é um ataque aos trabalhadores e à própria prática científica da Arqueologia do interesse do Dono de Obra e da empresa de Arqueologia, TMF. Trata-se de um expediente ilegal, que põe em causa a salvaguarda do Património Arqueológico, a despeito da posição do dono de obra, no caso a Pólis Ria de Aveiro. Segundo a matéria, várias entidades se pronunciaram, menos quem o deveria fazer.


« Older posts

© 2021

Theme by Anders NorenUp ↑