O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios de 2019 é dedicado ao Património e Paisagem Rural. De facto, o património em meio rural é muitas vezes a porta para a educação e valorização patrimonial da população mas possui também um poder de atracção de visitantes distantes, ou seja, um valor turístico que não é de desprezar.

A realidade é, no entanto, menos simpática. Os monumentos e sítios arqueológicos,  sobretudo (mas não só) os localizados em meio rural, estão muitas vezes abandonados, cobertos de vegetação, sem qualquer plano de conservação ou acções pedagógicas. Faltam sobretudo pessoas, ou seja, trabalhadores do património. Como se consegue preservar o património sem envolver técnicos especializados?

Confirmando as nossas preocupações está a recente proposta de descentralização de competências em que passam para a alçada das autarquias vários sítios arqueológicos, museus e património edificado… sem qualquer plano de gestão, sem recursos humanos e sem orçamento.

Igualmente, recaem sobre os sítios arqueológicos em território rural as destruições originadas pelas plantações de  agricultura intensiva. Se por um lado é um problema de resolução complexa e que pede enorme articulação entre tutelas, logo dependente de vontade política, por outro, é certo que a existência de arqueólogos municipais ajudaria consideravelmente na identificação de potenciais situações de lesa-património e na proteção do património local.  

Numa economia mercantilista tudo o que não serve para gerar dividendos não interessa. Os sucessivos governos têm entendido o património como um peso orçamental e não como um bem de todos os cidadãos, da sua história e cultura. Felizmente ainda há profissionais que a muito custo (pessoal, familiar e económico) vão investigando, promovendo acções de divulgação, montando exposições… São estes profissionais que hoje decidimos comemorar, juntamente com os monumentos e sítios que ajudam a preservar e divulgar, profissionais exaustos, muitas vezes sós e sem ninguém a quem transmitir o conhecimento.

Os monumentos e sítios arqueológicos precisam de gente. Gente para conhecer e absorver! Gente para transmitir e proteger!

O STARQ continuará a lutar pela criação de postos de trabalho na área da arqueologia e do património!

 

A Direcção do STARQ